A FIFA decretou areia para cima das mulheres bonitas

Ser mulher e ser bonita já é meio caminho andado para não se ser filmado nas bancadas do estádio do Campeonato do Mundo 2018!

Pois é, a FIFA proibiu as televisões de filmarem mulheres atraentes durante o Mundial, alegando, para o efeito, a proteção das mulheres e o combate ao sexismo – uma realidade tão lamentavelmente presente no mundo do futebol.

Na sequência do incidente com algumas repórteres que foram agarradas e beijadas por adeptos, enquanto aguardavam para realizar as entrevistas, a FIFA reiterou esta nova máxima!

É deplorável o que aconteceu com as repórteres, ninguém – homem ou mulher – deve ser submetido a tal ato de humilhação e desrespeito, muito menos no local de trabalho, onde por lei deve estar assegurada a segurança e o bem estar do trabalhador.

De qualquer forma, não encontro nesta medida de proteção da FIFA qualquer combate ao sexismo: não vejo porque é proibido filmar mulheres atraentes, mas é legítimo filmar homens atraentes; não vejo , porque considero tratar-se de uma proibição absolutamente ridícula que em nada impede situações destas de se replicarem e que só espelha a adoção de um caminho facilitista e desrespeitoso no combate ao sexismo. Não é nada mais do que atirar areia aos olhos do público!

E é, sim, desrespeitoso porque se subentende que, doravante, todas as mulheres que forem filmadas no Campeonato do Mundo não serão bonitas, nem atraentes. Presumo que a próxima medida da FIFA seja proibir que se filmem, de todo, as mulheres. Que bela forma de combate ao sexismo!

A proibição não é e nunca será o caminho para a prevenção; talvez pareça uma via mais fácil, uma forma de camuflar um problema, mas não será, certamente, a via do combate!

Qualquer dia, distribuem-se burcas à entrada dos estádios e tavez esse seja mesmo o objetivo da FIFA: preparar o público para o Mundial 2022, no Qatar.