Ex-jogador do Benfica condenado a prisão

A acusação do caso que remonta a 2010 e 2011, altura em que Miccoli jogava no Palermo, aponta que o ex-futebolista pediu ajuda a Mauro Lauricella, filho do chefe da máfia Kalsa, para recuperar 20 mil euros que tinha emprestado a Andrea Gaffagnini, antigo fisioterapeuta da equipa do sul de Itália, para investir na discoteca Paparazzi, em Isolla della Firmine, na Sicília.

Falamos de Fabrizio Miccoli, antigo avançado que representou o Benfica entre 2005 e 2007, foi esta quarta-feira condenado a três meses e meio de prisão efetiva por extorsão agravada de associação mafiosa

Numa tentativa de cobrança da dívida, Lauricella recorreu a métodos violentos, tendo por isso sido condenado, em julho, a sete anos de prisão.

O acórdão do Tribunal de Recurso de Palermo, que confirmou a decisão de primeira instância, sublinha que Miccoli conseguiu arranjar a referida quantia, tendo depois retirado oito mil euros do dinheiro recuperado.