Santos para despedir Jesualdo terá de pagar ‘fortuna’

O registo de três vitórias, dois empates e duas derrotas nos sete primeiros jogos oficiais no comando técnico do Santos não agradam à direção do clube, que, segundo relatos oriundos da imprensa brasileiro, estará a equacionar avançar para a rescisão do contrato.

Em cima da mesa estará, neste momento, a hipótese de a ‘chicotada psicológica’ ocorrer ainda antes do tão aguardado dérbi com o Palmeiras, que está agendado para o próximo sábado.

Um dos principais entraves à demissão será, no entanto, os cerca de 13,2 milhões de reais – 2,8 milhões de euros – que o emblema paulista teria de pagar ao treinador português, entre “salários e encargos da comissão até ao fim do ano”.

Outro dos motivos que vão ‘segurando’ Jesualdo Ferreira no cargo, acrescenta a publicação, é o facto de a própria direção do Santos estar divivida quanto a uma eventual demissão.