O Cantinho do Santos: Convidada Catarina Maia

Bem-vindos novamente ao meu Cantinho. Hoje tenho o prazer de receber a CATARINA MAIA, 22 anos, estudante de Medicina (6ºano) na Universidade do Minho e que em 2018, foi eleita “1ª Dama Porto” no concurso MISS QUEEN PORTUGAL. Uma entrevista, ou melhor uma conversa, onde nenhum assunto ficou por responder…

MADUREIRA SANTOS: Começando pela medicina, como surgiu na tua vida? Sempre foi o teu objetivo seguir esta área?

CATARINA MAIA: A medicina surgiu na minha vida desde muito cedo, desde os 8 aninhos. Nunca quis ter outra profissão, sempre fui assim muito decidida, quando sei que quero algo, vou lutar por tal até o conseguir! Por isso sim, sempre foi o meu objetivo seguir esta área.

MADUREIRA SANTOS: O que te fascinou desde tão nova pela área?

CATARINA MAIA: Penso que a principal figura que me fez querer seguir medicina foi a minha pediatra. Lembro-me de que cada vez que ia a uma consulta de rotina, por exemplo, fascinava-me a preocupação que ela tinha comigo, a forma como ela me “curava” caso eu ficasse doente, toda a parte do ajudar e do preocupar com os outros sempre me fascinou.

MADUREIRA SANTOS: Terminaste, este ano, o quinto ano com sucesso. Que balanço fazes dos 5 anos que já tens de curso? Está a corresponder às expectativas?

CATARINA MAIA: Sim, felizmente com sucesso! Inicialmente o método de ensino e avaliação que a minha faculdade utiliza (na UMinho) dificultou a minha experiência enquanto aluna lá, eles baseiam-se numa forma de ensino semelhante à dos EUA, então em nada se assemelha à maneira “clássica” de as aulas serem lecionadas e até mesmo da forma como somos avaliados.
Mas, agora que passaram estes anos, estou mais do que ambientada e habituada ao trabalho árduo a que somos propostos, penso, até, que estamos a ser muito bem preparados lá, para sermos, futuramente, bons médicos.

MADUREIRA SANTOS: Estás a um ano de fazer a especialidade, já tens em mente que área específica da medicina queres seguir?

CATARINA MAIA: Tenho várias especialidades em mente, a que está no topo é neurologia, de seguida está psiquiatria, e talvez ainda se siga reumatologia. Mas gosto de mais.

MADUREIRA SANTOS: Que momentos mais te marcaram nestes 5 anos de curso?

CATARINA MAIA: Em termos de dificuldade, nunca mais me esquecerei do trabalho e empenho que tive de ter do 3º para o 4º ano, principalmente no 1º semestre, foi um ano muito difícil, com cadeiras muito pesadas, mas lá ficou feito! (risos) Também me lembro de me sentir muito orgulhosa de mim mesma na cerimónia da bata branca, no início dos anos clínicos.

MADUREIRA SANTOS: Deixando agora a medicina, como surgiu a tua participação no MISS QUEEN PORTUGAL 2018, sendo que foste eleita 1ª DAMA DO PORTO? 

CATARINA MAIA: Eu sempre me interessei por concursos desse género, não por ser mega superficial, mas porque acho giro valorizarem todo o conceito daquilo que é uma Miss.
A designação que me foi atribuída foi a de 1ª Dama do Porto 2018, correspondente ao 2º lugar nessa fase distrital.
Nesse ano sugeriram-me participar, e, como tive disponibilidade, decidi arriscar! Foi, no geral, uma experiência que guardo com muito carinho, gostei de todas as pessoas que lá conheci e provavelmente irei concorrer de novo, desta vez a ambicionar o 1º lugar. (risos)

MADUREIRA SANTOS: Fala-me sobre essa ambição. (risos) Iremos ter novidades muito em breve?

CATARINA MAIA: (Risos) Talvez! Estou a pensar em voltar a inscrever-me, mas ainda nada é certo, depende do trabalho na faculdade.

MADUREIRA SANTOS: Muitas pessoas, pensam que para se concorrer a MISS basta ser bonita e pronto. Mas o concurso vai muito além disso, e abrange muitas áreas. Queres me falar sobre o tipo de provas que fizeste?

CATARINA MAIA: Verdade. Engloba mais do que a aparência. Para além das fotos e do desfile que tivemos de fazer perante o júri, também contava bastante o que fazemos na vida, o que estudamos, se gostamos de ajudar, se nos preocupamos com o ambiente, por exemplo, quiseram saber mais sobre nós a um nível mais pessoal, muito para além daquilo que poderíamos “aparentar” ser.

MADUREIRA SANTOS: Qual o momento que mais te marcou durante todo o concurso?

CATARINA MAIA: Penso que a parte em que fiz os 3 desfiles, cada um com um outfit diferente. Saber que estava a conseguir desfilar em frente às pessoas e vencer alguma da timidez que tenho, foi uma conquista pessoal!

MADUREIRA SANTOS: Consideras-te uma Miss? (risos)

CATARINA MAIA: (Risos) Não acho que preencho todos os requisitos de uma Miss, eu acho que não!

MADUREIRA SANTOS: Quais os requisitos que achas que deve ter uma Miss já agora?

CATARINA MAIA: Eu acho que, pelo que aprendi lá, para além da beleza exterior e cuidado com a aparência física, uma Miss também tem de se preocupar com os outros, seja na sua profissão, ou num hobby qualquer, como voluntariado! Ou então querer saber mais acerca dos problemas que se passam no mundo, tanto climáticos, como políticos e, talvez numa pequena escala, procurar fazer a diferença nesses aspetos, penso que ser uma boa pessoa conta muito para se ser uma Miss (risos)

MADUREIRA SANTOS: Por falar em assuntos do Mundo, qual a tua opinião sobre Donald Trump e Jair Bolsonaro?

CATARINA MAIA: Não quero fornecer uma opinião muito má, mas, o que há de bom para dizer sobre essas duas personagens? Não têm a noção do que é governar milhões de pessoas, lidar com assuntos de extrema importância, são capazes de colocar o seu próprio povo em risco, se isso lhes trouxer benefícios.

MADUREIRA SANTOS: Mudando de tema, qual a importância que dás às redes sociais?

CATARINA MAIA: Não gostava de gastar tanto tempo no instagram, como gasto, mas acontece isso e, portanto, acabo por dar bastante importância às redes sociais, principalmente ao instagram.
Acho que têm o seu lado mau, claro; fazem com que estejamos sempre a comparar vidas, pessoas, etc; mas também existe o lado bom, o de podermos falar com pessoas distantes, de seguirmos pessoas que nos importam, reconectar com familiares…

MADUREIRA SANTOS: Os rapazes metem-se muito contigo nas redes sociais? (Risos)

CATARINA MAIA: (Risos) não diria muito muito. Mas alguns tentam meter-se, sim. Nada de mais.

MADUREIRA SANTOS: Alguma mensagem com algum piropo mais engraçado que te recordes? (Risos)

CATARINA MAIA: Tento não decorar nenhum, para não encher a memória com essas coisas! (Risos) Mas normalmente não se esforçam muito, costuma ser um “Olá” ou a perguntar se está tudo bem.

MADUREIRA SANTOS: Consideras que “tiras o sono” a muitos rapazes? (Risos)

CATARINA MAIA: (Risos) Pergunta engraçada, mas acho mesmo que não.

MADUREIRA SANTOS: Falando agora um pouquinho sobre desporto…gostas? Praticas algum desporto? Torces por algum clube?

CATARINA MAIA: Eu gosto de desporto, são inúmeros os benefícios que nos traz! Eu pratico apenas ginásio, foi aí onde descobri a minha paixão para o desporto, em específico para a musculação. Quanto a torcer por algum clube…sou do FC Porto (risos), mas não se pode dizer que torço, porque de futebol percebo e aprecio muito pouco!

MADUREIRA SANTOS: Quais são os teus hobbies?

CATARINA MAIA: Eu adoro ver séries, filmes! Gosto de cantar, também, ginásio…(risos)

GOSTO de praia, de viajar, de paisagens lindas, da verdade, de surpreender e de estar com a minha família

NÃO GOSTO de abelhas (risos), de chocolate, de desonestidade, de falsidade, de perder e de não conseguir o que quero!

MADUREIRA SANTOS: Qual o dia mais difícil da tua vida?

CATARINA MAIA: Pergunta difícil. Existiram vários dias muito maus, mas o que me veio mais rápido à cabeça foi o dia em que soube que tinha 24 horas para me mudar para Lisboa, sozinha, para começar o 1º ano do meu curso.
Tinha 17 anos ainda, e foi difícil, porque sou muito apegada à minha família. Entretanto, felizmente, consegui vir para perto.

MADUREIRA SANTOS: Como correu esse ano? E como foi a adaptação a uma cidade Nova e indo sozinha?

CATARINA MAIA: O primeiro ano do meu curso correu bem, apesar de ser longe de casa, de ter muita adaptação do início ao fim e, principalmente, de muita luta para fazer o ano e, ao mesmo tempo, subir nos exames nacionais de novo. Penso que nunca me cheguei a adaptar completamente a Lisboa. Sabia que ia estar lá temporariamente, então, nunca procurei uma adaptação completa na cidade, apenas fui vivendo até sair de lá (risos).

MADUREIRA SANTOS: Alguém te deve um pedido de desculpas ou tu deves a alguém?

CATARINA MAIA: Acho que me devem pedidos de desculpas, sim. Não sinto que deva pedir desculpa a ninguém, não sinto a consciência pesada (risos).

MADUREIRA SANTOS: Qual o dia mais feliz da tua vida?

CATARINA MAIA: Não sei se saberei escolher. Já tive dias muito felizes na minha vida! Na altura não foi, de todo, um dia feliz, mas, agora, claramente sei que o foi: quando a minha irmã mais nova nasceu. Ela é uma das minhas melhores amigas e acompanha-me em tudo.

MADUREIRA SANTOS: Música e filme preferidos?

CATARINA MAIA: As músicas vão mudando, mas, neste momento, talvez a Always, do Gavin James.
Quanto ao filme, eu gosto muito de romances, portanto, vou ser clichê e dizer “The Notebook”.

MADUREIRA SANTOS: Qual a coisa mais “maluca” que já fizeste? (risos)

CATARINA MAIA: Não sou muito de cometer loucuras (risos)

MADUREIRA SANTOS: O que farias se ganhasses 100 milhões de euros?

CATARINA MAIA: Pagaria a casa aos meus pais. Dar-lhes-ia 2 carros novos, dava outro também à minha irmã. Comprava uma viagem de sonho para nós os 4 e o resto logo se via (risos)

MADUREIRA SANTOS: Momento tesourinho (risos). Comenta-me esta foto…

CATARINA MAIA: Não sei o que dizer ahahaha. Sempre fui muito sorridente, isso não mudou. Mas a partir deste ano para a frente eu engordei bastante e só no 10º ano comecei a mudar certos hábitos que mudaram muito a forma como estou, quer interior, quer exteriormente.

MADUREIRA SANTOS: A viagem dos teus sonhos seria onde?

CATARINA MAIA: Desde os meus 8 anos, a resposta é a mesma: Hawaii. É o paraíso, pelo menos aos meus olhos. E é uma viagem bem grande, por isso, para já, fica como de sonho (risos).

MADUREIRA SANTOS: Para terminar, o que diz o teu coração neste momento?

CATARINA MAIA: Que eu quero continuar a perceber quem sou, quero continuar a lutar pelos meus objetivos, nunca desistir do que me fizer feliz!